As 7 melhores praticas de um projeto de energia solar residencial

As 7 melhores praticas de um projeto de energia solar residencial

As 7 melhores práticas de um projeto de energia solar residencial.

A participação da energia solar nas atividades domésticas vem crescendo no território nacional devido aos seus benefícios. Mesmo com o custo inicial alto, a instalação do sistema fotovoltaico tem um retorno médio de sete anos e vida útil de 25 anos. Isso possibilita uma grande economia com a conta de luz, libertando os consumidores das variações abusivas das taxas de energia. Essa, também, é uma fonte limpa e renovável de eletricidade que não polui e não degrada o meio ambiente.

Para que essas vantagens sejam garantidas, a empresa que faz o projeto de energia solar residencial deve adotar uma série de práticas. Neste post, listamos para você quais são as medidas às quais você deve ficar atento. Acompanhe!

1. Planejamento da área de cobertura

Para que o sistema fotovoltaico produza energia, é necessário que seja destinado um espaço para a instalação dos painéis fotovoltaicos. Essa área pode ser o telhado ou o solo e precisa ser calculada de acordo com a necessidade de consumo.

É de extrema importância que o projeto de energia fotovoltaica garanta a orientação das placas para o Norte geográfico, para que haja maior aproveitamento dos raios solares. As direções Leste e Oeste podem ser consideradas como segunda opção. O Sul, porém, deve ser evitado, já que a perda de eficiência é muito significativa.

2. Escolha do sistema ideal

Para que o projeto atenda às expectativas dos consumidores, as especificações devem levar em conta determinadas características. O número de placas a serem instaladas é um fator importante e está relacionado à demanda energética da casa. Isso é determinado pelo número de moradores e pela quantidade de funções que dependem da eletricidade, como ar-condicionado, lâmpadas, entre outros.

Também, é preciso decidir com os proprietários se o sistema deverá suprir todo o consumo elétrico ou se apenas uma porcentagem. Além disso, o local de instalação, o solo ou o telhado, requer alguns cuidados, como estruturas específicas para a fixação.

3. Estudo de soluções de sombreamento

Como a produção de energia fotovoltaica depende da captação solar, a incidência de sombras sobre o terreno pode influenciar a eficiência do sistema. Por isso, esse aspecto tem que ser analisado ainda na fase de projeto.

Quando o sombreamento é causado por elementos que podem ser removidos, como árvores e outras estruturas do telhado, o custo desse tratamento deve ser informado aos consumidores, assim como a sua necessidade.

No entanto, em grande parte dos casos, não é possível eliminar a causa da sombra, como edificações no entorno do local. Assim, é preciso determinar a posição de menor perda energética para instalação dos painéis solares — e, mais uma vez, o impacto econômico da perda de eficiência deve ser passado para o cliente.

4. Cálculo da área de instalação

Esse é um caso de levar em conta o consumo mensal médio da residência para determinar o número de módulos a serem instalados e, por consequência, o tamanho da área necessária para a fixação.

5. Atenção aos equipamentos necessários

Para o bom funcionamento do sistema fotovoltaico, é preciso estar atento aos itens indispensáveis que o compõem. Sobre eles, falaremos mais a seguir.

Módulos fotovoltaicos

Esse é um equipamento de extrema importância, já que são as placas solares que captam a luz do sol e a transformam em eletricidade. Além do gasto energético, o número de módulos depende do seu dimensionamento.

Eles são ligados entre si e, no fim da fileira (conhecida como string), há um cabo que leva a String Box. Esse cabo precisa ser dimensionado e, dependendo de onde ele passar, pode ser necessário o uso de eletrodutos para evitar corrosão e curto-circuito devido à ação de agentes externos, como a umidade.

String Box

Esse é um item indispensável que protege todo o lado em CC (corrente contínua) do sistema. Trata-se de um quadro elétrico que tem elementos que agem protegendo a instalação em caso de anomalias elétricas, como surtos ou curtos. A String Box é ligada ao inversor, utilizando um conector específico.

Inversor de frequência

A energia utilizada nas residências é em corrente alternada, e a produzida pelos módulos é em corrente contínua. Por isso, o inversor tem um papel imprescindível — fazer a conversão dessa eletricidade, possibilitando o seu uso. Assim, desse equipamento, sai um cabo em corrente alternada que, dependendo da situação, é ligado ao disjuntor ou diretamente ao quadro de distribuição. De acordo com a tensão da rede doméstica, pode ser preciso acrescentar um transformador na saída do inversor.

6. Elaboração de um cronograma de atividades

Para o projeto sair do papel e ser executado, ele precisa ser aprovado pela concessionária. Ela, por sua vez, tem responsabilidade legal de cumprir uma série de requisitos e de se adequar às normas da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Considerando que a proposta pode ou não ser aceita, é preciso acrescentar um tempo para uma possível revisão do projeto na previsão de entrega da obra.

Com a execução finalizada, a concessionária deverá fazer uma vistoria nas instalações. Nesse caso, o cronograma deve prever um prazo para possíveis modificações e ajustes. Tudo isso deve ser informado ao consumidor para que ele não se frustre com possíveis atrasos.

7. Garantia da distância mínima entre os componentes

Para o funcionamento adequado do sistema, evitando falhas elétricas, superaquecimento, incêndios e perda de investimento, o projeto deve respeitar a distância mínima entre os equipamentos e a própria construção. Essa medição é feita no projeto executivo, que garante, por exemplo, que o inversor esteja afastado suficientemente de uma parede ou outro componente, permitindo que ele faça uma troca de calor adequada.

Agora que você já conhece quais práticas são importantes para o sucesso de um projeto de energia solar residencial, fica mais fácil pesquisar e escolher bem a empresa que fará esse serviço para você. Lembre-se de que tão importante quanto os equipamentos, são as especificações de distância, área ocupada, tempo do projeto e proteção da instalação.

Se este conteúdo foi interessante para você, compartilhe-o nas redes sociais, para que mais pessoas tenham acesso a essas informações e comecem logo a economizar!

Sem comentários