Economia e energia solar: saiba como mostrar os benefícios aos seus clientes

Economia e energia solar: saiba como mostrar os benefícios aos seus clientes

Economia e energia solar: saiba como mostrar os benefícios aos seus clientes

O nosso cotidiano, cada vez mais, depende da eletricidade, e o custo da energia elétrica cresce a cada dia. Muitas fontes usuais já vislumbram o seu esgotamento. É resultante desse cenário a necessidade de buscar formas de energia renováveis e que, principalmente, gerem economia para o usuário.

Assim, a energia fotovoltaica ganha espaço no mercado. Ela é produzida pela conversão da luz do sol em eletricidade pelos módulos ou placas solares. Em seguida, ela passa pelo quadro de proteção. Então, essa eletricidade que está em corrente contínua é transformada em corrente alternada pelo inversor, forma ideal para o consumo.

Mesmo estando presente em muitos lares brasileiros, ela não é familiar para o grande público consumidor. Confira, neste texto, informações essenciais para que mais clientes possam ser beneficiados pela economia de energia solar.

Como funciona a energia solar no Brasil?

Histórico

Apesar de a energia solar ser utilizada na indústria há bastante tempo, o seu avanço no meio residencial é mais recente. Foi com a normativa 482 de 2012 da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) que esse desenvolvimento foi possível. Ela regulamenta um sistema de compensação, possibilitando a troca de energia entre os consumidores e a distribuidora local.

Devido a isso, a geração distribuída de eletricidade que prevalece no Brasil é o sistema fotovoltaico On Grid. Esse tipo de sistema é conectado à rede elétrica e envia, para ela, o excedente de energia produzida. Por meio de compensação, a concessionária de energia transforma o excesso injetado em créditos.

Até 2012, a presença da energia fotovoltaica residencial estava quase inteiramente em regiões sem acesso à eletricidade, caracterizando o uso dos sistemas fotovoltaicos Off Grid. Esses são caracterizados por serem isolados e não conectados à rede, mantendo baterias para o armazenamento de energia e não fazendo parte do sistema de compensação.

Cenário atual

A energia solar no Brasil anda na contramão da crise econômica. Mesmo que sua participação na matriz energética elétrica ainda não seja tão expressiva, em 2017, houve um crescimento de mais de 300% do setor.

Segundo dados da Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), em janeiro de 2018, o país ultrapassou a marca de 1 gigawatt de capacidade energética de projetos de energia fotovoltaica. Isso significa a possibilidade de abastecimento anual de 500 mil residências. Apenas 30 países conquistaram esse feito até agora.

Potencial solar

A Alemanha é líder mundial de energia solar per capita e referência em incentivo para o uso de energias renováveis. Ainda assim, a irradiação solar alemã fica entre 900 e 1250 kilowatts-hora por metro quadrado ao ano. Já para o Brasil, que, em níveis de insolação, só perde para a Austrália, esse índice fica entre 1500 e 2400 kilowatts-hora por ano. Se todo esse potencial fosse aproveitado, a produção de energia equivaleria ao dobro do consumo doméstico.

Quais as perspectivas para o futuro do setor?

É esperado o barateamento da energia solar e que aumentem os incentivos para a sua utilização. Isso será apenas o resultado de uma tendência que já começou, já que, nos últimos dois anos, o custo de instalação de sistemas fotovoltaicos caiu em 50%.

Além disso, já existem linhas de financiamento em alguns bancos e, em 24 unidades federativas, quem produz a própria energia é isento do ICMS. Dessa forma, o usuário não será taxado quando precisar da energia excedente que foi injetada na rede da concessionária.

Quais são os principais benefícios desse tipo de energia para a economia?

Benefícios econômicos

Um dos benefícios mais notáveis proporcionados pela adoção da energia solar é a economia imediata na conta de luz, que tem seu valor reduzido entre 50% e 95%. Essa conta não é zerada, mas o consumidor pode chegar a pagar somente a taxa básica cobrada por toda concessionária e a taxa de iluminação pública.

Apesar de ser um investimento inicial alto, a instalação de um sistema fotovoltaico também compensa pelo custo-benefício. A vida útil de um sistema instalado corretamente e com manutenção adequada é de 25 anos. Já o tempo médio de retorno do custo de instalação é de 7 anos. Assim, levando em consideração os números citados, o tempo de economia com eletricidade é de, pelo menos, 19 anos.

Benefícios ambientais

Esse tipo de energia provém de uma fonte inesgotável e não poluente, o sol. Além disso, quanto maior a adesão à energia solar, menor a utilização de fontes prejudiciais à natureza.

Na matriz energética brasileira, a maior participação atual é das hidroelétricas, cuja energia é considerada renovável. Mas, para a construção dessas usinas, é preciso inundar regiões da ordem de quilômetros quadrados, causando a destruição de ecossistemas e a inutilização de terras férteis, e deixando desabrigadas as famílias da região.

Benefícios sociais

Existem ainda doações de kits solares para instituições beneficentes, como é o caso do projeto Solcial. O Solcial é uma organização não governamental que angaria doações via financiamento coletivo para realizar instalação de sistemas fotovoltaicos em instituições filantrópicas da região metropolitana da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. Essa ação viabiliza a quase eliminação de gastos com energia elétrica, permitindo que a instituição possa usar os seus recursos em atividades solidárias.

Por que escolher a energia solar é uma boa alternativa?

Veja, agora, as principais razões para aderir à energia solar:

  • o sistema fotovoltaico é de fácil instalação;
  • devido à ausência de peças móveis e motores, a manutenção é simples;
  • o equipamento não é barulhento;
  • o retorno do investimento é seguro;
  • a vida útil do sistema é longa;
  • a energia solar é infinita;
  • seu uso diminui a emissão de gás carbônico na atmosfera;
  • proporciona a redução de custos com a energia elétrica;
  • o imóvel que dispõe do sistema solar é mais valorizado;
  • é possível compartilhar a produção de energia por meio da formação de um consórcio de duas ou mais pessoas que dividam os custos e benefícios do sistema.

Depois dessa série de informações, ficou mais fácil mostrar aos seus clientes como a energia solar é benéfica. Lembre-se de que ela é um investimento que tem retorno garantido graças à vida útil do sistema e à diminuição de gastos com eletricidade. Por fim, essa é uma forma de energia que colabora com o futuro da humanidade porque é sustentável e não poluente!

Agora que você já sabe mais sobre a economia de energia solar, curta a nossa página no Facebook e fique atento às nossas postagens sobre esse assunto!