Entenda como funciona o inversor de energia fotovoltaica

Entenda como funciona o inversor de energia fotovoltaica

Entenda como funciona o inversor de energia fotovoltaica

Quando se trata de fontes alternativas de energia, a fotovoltaica é uma das mais vantajosas por ser não-poluente, renovável e por depender de um recurso praticamente infinito — o sol. Além disso, seu uso também promove uma economia significativa na conta de luz.

Para que essas vantagens sejam viabilizadas para o consumidor, é preciso que o sistema instalado opere adequadamente. Esse desempenho é dependente do funcionamento dos equipamentos que o compõem, entre eles o inversor solar.

Neste texto, separamos as principais informações que você deve saber para entender como funciona o inversor de energia solar. Boa leitura!

Como funciona o inversor solar?

Os painéis solares instalados nos telhados das residências produzem energia elétrica por meio da captação da luz do sol. Essa eletricidade precisa ser transformada de corrente contínua (CC) para corrente alternada (CA) para que esteja nos padrões da rede elétrica, permitindo o funcionamento adequado dos aparelhos eletrônicos.

O inversor de energia é o equipamento que realiza essa conversão e é imprescindível para que a energia seja injetada nas residências. Ele é considerado um adaptador de energia para o sistema e é importante para a segurança porque monitora e otimiza a produção energética.

Esse aparelho é fabricado seguindo normas rígidas que evitam falhas como o ilhamento — uma situação em que um inversor não preparado continua a fornecer eletricidade para uma rede que está isolada. Isso pode causar deterioração dos componentes e um risco desnecessário para as pessoas, podendo até mesmo ser fatal.

Como escolher um inversor ideal?

A escolha do equipamento depende do tipo de sistema que será instalado e da potência necessária. Entenda mais sobre isso!

Modelos

Para projetos de energia solar em residências, comércios e indústrias localizadas em regiões urbanizadas, o inversor On Grid ou Grid Tie é o ideal. Ele é conectado à rede e isso permite que o sistema receba energia quando necessário e envie o excedente de eletricidade produzida para a concessionária. Se ocorre queda de tensão na região, o equipamento se desligará para evitar a ocorrência de panes elétricas.

O modelo conhecido como Off Grid é mais comum em regiões remotas onde o acesso à eletricidade é mais difícil. Ele se conecta a baterias e injeta energia direto delas na residência. Já o inversor híbrido possui características daqueles conectados à rede e também dos isolados. Nesse último caso, são feitas duas instalações separadas, uma On Grid e outra Off Grid. Apenas a parte conectada à concessionária se desliga quando necessário.

A potência de fabricação do modelo microinversor é menor do que a normal e ele é feito para estar ligado a somente um módulo solar. Ele é vantajoso para ser usado em usinas solares, porque é mais fácil para localizar uma possível falha elétrica em um dos painéis.

Potência

Os inversores também variam em potência, que indica o número de placas que podem ser instalados no equipamento. Por isso, é necessário que os projetistas da empresa contratada façam o dimensionamento de cada projeto. Com isso, é calculada a quantidade de módulos necessários e, por consequência, a potência do inversor.

A quantidade de painéis depende do consumo médio mensal do consumidor e é preciso verificar se há intenção de expandir esse consumo, como no caso de adicionar outros eletrodomésticos que pesam mais na conta de luz, como condicionadores de ar e chuveiros mais potentes. Outros aspectos observados são a insolação da região, a incidência de sombreamento, o posicionamento e a orientação na hora da instalação, entre outros.

Tudo isso entra nos cálculos ainda na fase de projeto e são fatores de grande importância porque, por exemplo, se a potência que chega no inversor da concessionária for mais baixa do que a sua potência nominal, o equipamento não conseguirá atingir sua melhor eficiência. Nesse caso, ele funciona com uma tensão baixa e a energia produzida não corresponde à planejada.

Um procedimento comum para aproveitar de forma segura o inversor fotovoltaico é o superdimensionamento. Isso consiste em adicionar uma quantidade de painéis que excedam em potência nominal na entrada do inversor, de forma que a potência de saída se mantenha. Dessa forma, a geração energética é maximizada, principalmente nos horários de pico.

A ecoSolys tem no mercado inversores de 1000 e 2000 watts e, em breve, lançará mais dois modelos residenciais: de 3000 watts e 5000 watts. Esses último irão possibilitar que sejam feitos projetos ainda maiores, propiciando uma maior geração de energia.

Como habilitar o inversor?

É importante que o inversor seja instalado ao abrigo de ações de intempéries, preferencialmente sob a cobertura. Mas é preciso que seja respeitada a distância mínima indicada pelo fabricante entre paredes próximas para que haja ventilação. Por se tratar de um equipamento eletrônico, há um aquecimento local — esse distanciamento evita o superaquecimento.

Ele é ligado à parte CA do sistema por meio do cabeamento apropriado, de modo que recebe tensão para começar a funcionar. Em seguida, é ligado à parte CC.

O inversor da ecoSolys possui um display que mostra informações como temperatura, corrente, tensões e frequência. Ali é possível ver se esse componente está sob o risco de temperaturas mais altas do que o limite seguro. Em casos assim, ele desliga e retoma o funcionamento assim que calor diminuir para níveis aceitáveis.

O sistema fotovoltaico é um investimento com retorno garantido porque sua vida útil é de pelo menos 25 anos. Com a economia na conta de energia, o valor retorna para o cliente em uma média de 9 anos. A partir daí são 19 apenas economizando, sem depender das variações abusivas do preço do quilowatt no Brasil.

Chegado ao fim desse deste texto, você aprendeu como funciona o inversor de energia fotovoltaica e como ele é essencial para o sucesso do investimento em energia solar! Para garantir isso, é preciso atentar-se ao licenciamento do Inmetro. Os produtos de fabricação nacional, como os da EcoSolys, são mais vantajosos por terem um valor fixo, já que não sofrem com a flutuação do dólar, além de possibilitarem um acompanhamento da empresa com o cliente.

Se você quer saber mais sobre os equipamentos e serviços que oferecemos, entre em contato conosco. Teremos prazer em ouvir e esclarecer as suas dúvidas!